Não patrocine massacres. Boicote produtos israelenses.

Não patrocine massacres. Boicote produtos israelenses.

terça-feira, 3 de março de 2009

Nacionalidade, etnia e religião


É comum ouvir, até mesmo na imprensa, se falar de árabe, muçulmano e palestino (iraquiano, jordaniano, libanês, egipcio...ou de qualquer nacionalidade que tenha relação com aquela região), como se fosse tudo a mesma coisa.



Pode parecer uma simples confusão conceitual, mas muitas vezes isso gera preconceitos e descaracteriza as diferenças entre os povos e sua cultura. Principalmente quando uma ação mais grave e impactante é feita por um grupo de pessoas, mas que no fim das contas é atribuída a vários grupos, é o caso do terrorismo. De fato, algumas pessoas realizam atentados terroristas, movidas quase sempre por questões ideológicas (ou por uma interpretação errônea da religião), mas pessoas de várias localidades, religiões, etnias, culturas. Acontece que em cima da etnia árabe é que cai a culpa, o que é um absurdo. Se isso fosse correto poderíamos afirmar que os atentados realizados pelo IRA na Irlanda e pelo ETA na Espanha, são feitos pelos árabes. Até mesmo o terrorismo contra os palestinos realizado por alguns israelenses do IRGUM, HAGANÁ e STERN (claro, tem o terrorismo de estado também), seria ocasionado pelos árabes.



A confusão começa a diminuir se os conceitos forem definidos. Não dá pra considerar etnia,religião e nacionalidade como se fosse a mesma coisa.


Deixando de lado questões ideológicas, árabe é aquele que:




  1. é originário da península arábica;


  2. vive em um país pertencente a chamada Liga Árabe;


  3. tem como idioma materno a língua árabe;


  4. é ascendente do povo árabe,que não necessariamente vive em um pais considerado árabe;(por isso que tem árabe na europa, na ásia, oceania e na américa)


Grosso modo, nacionalidade é:



  1. o vinculo jurídico de uma pessoa com um estado;

  2. a naturalidade de uma pessoa com uma pátria (nação);

  3. o Jus sanguinis, relação sanguínea de uma pessoa com outras pessoas nascidas em determinado território;

  4. o jus soli, ligação de uma pessoa com o solo em que vive (solo em que não necessariamente nasceu);

De maneira prática, religião, é:



  1. a prestação de culto a uma divindade;

  2. a religação de uma pessoa com o deus em que acredita;

  3. conjunto de crenças relacionadas aquilo que é sobrenatural, divino, metafísico etc;

Sabe-se que esses conceitos foram colocados aqui de maneira superficial. Entretando, o intuito de distinguir essas três coisas foi mais urgente que um aprofundamento do assunto . Outro objetivo é que se extingua o preconceito contra a cultura árabe que devido a casos isolados(na maioria dos casos, justos), leva a culpa e a fama de promover o terrorismo, o que na verdade é um grande engodo por parte dos governos dos países ocidentais e pelo governo israelense.

Um comentário:

Palestina livre disse...

Bom texto, mas falta aprofundar algumas coisas, poderíamos fazer desses comentários, uma discussão sobre isso.
Abraços!
Anomalia