Não patrocine massacres. Boicote produtos israelenses.

Não patrocine massacres. Boicote produtos israelenses.

sábado, 23 de maio de 2009

Blog do Bourdoukan é removido


"O blog foi removido
Desculpe, o blog em blogdobourdoukan.blogspot.com foi removido. Esse endereço não está disponível para novos blogs"


Essa é a mensagem que aparece quando você tentar acessar o blog.

Georges Latif Bourdoukan nasceu em Miniara-Akkar (Líbano) em 1943 e veio para o Brasil com dez anos de idade. Começou a militar em grupos estudantis aos dezesseis, militância que lhe rendeu a primeira de muitas prisões. Aos dezoito iniciou sua carreira jornalística e trabalhou para diversos veículos de mídia impressa, dentre eles o jornal Última Hora, publicação esquerdista que foi estrangulada pela ditadura militar.

Ele também participou do núcleo de redação do Globo Repórter e esteve presente (ainda que amplamente censurado) nos eventos que marcaram a luta sindical no Brasil no fim dos anos 70, ainda como jornalista da mesma Rede Globo. Fundou com colegas o Jornal de Jerusalém, especializado em assuntos do Oriente Médio, e ainda dirigiu a Revista Palestina (órgão oficial da OLP no Brasil) e a Revista dos Estados Árabes.

Abandonou o jornalismo diário para se dedicar a reportagens mais extensas e à literatura, já tendo publicado quatro livros: O Peregrino, A Incrível e Fascinante História do Capitão Mouro, Vozes do Deserto e a peça O Apocalipse. É cronista da revista Caros Amigos, para a qual colabora desde sua primeira edição.
Fonte

Por que será que o blog foi removido. Aqui no Blog Liberade Palestina foi publicado, em 19/01/09, uma reportagem da folha que falava de um software israelense que invadia facilmente os sites. Tratasse de um software que faz praticamente tudo sozinho: a pessoa baixa e, automaticamente ele envia mensagens de apoio ao Estado de Israel. Tem até uma caixa de idiomas com a língua que você desejar. Além disso, outra ferramentas desenvolvidas por Israel, tiram do ar blog's, sites e listas de e-mail que criticam o Estado. Por que será que o blog de Bourdoukan foi removido?

quinta-feira, 21 de maio de 2009

CONVITE ABERTO - ATIVIDADE SOLIDÁRIA AOS REFUGIADOS PALESTINOS DE MOGI DAS CRUZES


Serão apresentados dois vídeos, em telão. O primeiro, “A chave de casa”, documentário comovente que relata as dificuldades dos refugiados palestinos que vieram para Mogi das Cruzes no final de 2007 (duração 55 min.)

O segundo vídeo, “Filhos de Nakba”, com duração de apenas 20 minutos, com entrevistas de palestinos que vivem hoje em Mogi das Cruzes. Estarão presentes os próprios palestinos que participam dos dois vídeos. Será uma experiência muito rica para todos que comparecerem.



Será no dia 30/05, às 16 horas, na APEOESP – sub sede Mogi, à rua Hamilton Silva e Costa, nº 427, Mogilar. COMPAREÇAM! A ENTRADA É GRATUITA.

Mauro Rodrigues

Empresas que apóiam Israel

Boicote as empresas que apóiam Israel!










domingo, 3 de maio de 2009

Negar o holocausto de judeus não seria o mesmo que negar o massacre de palestinos?

Israel nega a existência do massacre em Gaza, e outros mais, mas a imprensa do mundo não árabe e não muçulmano, omite.

Israel tem um governo que não reconhece o estado da Palestina, mas essa imprensa se cala.

Essa mesma imprensa difunde enormemente e desqualifica o fato de o presidente Ahmadinejad, do Irã, não reconhecer o estado de Israel.

A imprensa não árabe e não muçulmana, nutre e alimenta o preconceito e o ódio contra o povo árabe no seio das populações não árabes e não muçulmanas.

Negar que Israel esteja impondo um massacre sobre o povo palestino, não seria o mesmo que negar a veracidade do holocausto do povo judeu? Negar a existência do Estado palestino, não seria o mesmo que negar a existência do povo judeu?

Nossa imprensa favorece o governo israelense ao dar conotação religiosa ao massacre promovido por Israel sobre o povo palestino, ao fazer supor que se justificam os genocidas bombardeios de Israel sobre o povo palestino, fazendo parecer que Israel esteja apenas se defendendo dos ínfimos ataques de uma pequena quantidade de morteiros do Hamas, ao chamar de guerra ao que na verdade é um massacre - uma guerra só pode ser assim chamada, quando os dois lados em litígio têm a mesma capacidade bélica, o que não se verifica nesse caso. Israel ataca com bombardeios aéreos e terrestres, enquanto os palestinos resistem com pedras.

A imprensa não árabe e não muçulmana comete um crime tão odioso quanto do próprio governo israelense ao passar a impressão a quem a assiste ou lê, de que o único lado errado no conflito são os palestinos, ao tratar o bandido (Israel) como "mocinho" e a verdadeira vítima (os palestinos) como bandidos.

A verdadeira história, a imprensa não árabe e não muçulmana não conta. O fato de Israel, com seu terrorismo de estado e alto poder destrutivo de seu aparato bélico, provindo dos Estados Unidos, expulsar o povo palestino de suas casas e suas terras, de assassinar friamente a qualquer palestino que não consiga fugir, inclusive, crianças, mulheres, idosos e portadores de necessidades especiais, num massacre pela conquista do território palestino, pelas riquezas em gás e petróleo do seu subsolo.

Por tudo isso, devemos abominar a nossa imprensa, nossos governos e a todos que, na baixeza de sua ganância e arrogância, ímpõem a nakba - a catástrofe do povo palestino. Essa é a verdade.