Não patrocine massacres. Boicote produtos israelenses.

Não patrocine massacres. Boicote produtos israelenses.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Refugiados no Brasil


No Brasil, os refugiados recebem auxílio-subsistência a partir de R$ 350,00 - de acordo com o número de membros de uma família -, aulas de português, casa alugada e mobiliada, carteira de trabalho, cursos profissionalizantes, acesso a microcréditos para pequenos negócios, além de outros benefícios. O órgão responsável pela estada de refugiados no Brasil é o ACNUR (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados), além do apoio de algumas ONG’s e do Cáritas Diocesano.
Apesar disso, um grupo de palestinos que viveu “cinco anos acampados no deserto da Jordânia” e que está há “alguns meses em Brasília”, em frente a sede do ACNUR, diz não receber o apoio prometido. É o caso de Handam Abdul que diz que “desde que chegou ao Brasil é tratado como inválido ou como louco”. Em Mogi das Cruzes, o ACNUR-Brasil e a Cáritas Brasileira, conforme afirma, já o colocaram em “um asilo que mais parecia uma prisão”.
O porta-voz do ACNUR no Brasil, Luiz Fernando Godinho, diz sobre o processo de integração dos refugiados:
“é longo, complexo e oferece muitas dificuldades. Muitas pessoas estão trabalhando, as crianças estão estudando, os casos médicos são atendidos pela rede pública de saúde, é um processo que está acontecendo dentro do previsto”, folha on-line, 26/03/08.

Nenhum comentário: