Não patrocine massacres. Boicote produtos israelenses.

Não patrocine massacres. Boicote produtos israelenses.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Refugiados palestinos - os números do caos.


A situação dos palestinos em situação de refúgio no Brasil está um caos por conta da irresponsabilidade e incompetência dos governantes brasileiros. Os que estão em Mogi das Cruzes, onde moro e estou acompanhando dia a dia, estão a beira da miséria absoluta. Os que estão no Sul do País e em Brasília, tenho notícias de que também estão em situação igual ou pior.

A ajuda financeira que recebem da ONU é irrisória e só será paga até dezembro próximo e não cobre sequer o aluguel das casas em que moram. 21 pessoas consideradas mais vulneráveis (segundo critérios da ACNUR-Brasil), estão recebendo apenas R$ 100,00 por criança, R$ 350,00 por adulto vulnerável e para as famílias em que há adultos vulneráveis é paga uma ajuda de custo de R$ 400,00 para o aluguel. Os poucos que estão trabalhando, estão em empregos temporários, sem certeza de renovação de contrato, alguns a cada dois meses, outros a cada seis meses.

O total dos recursos mensais da ONU, dividido pelo número de famílias aqui em Mogi (que são doze) resulta na média de R$ 391,00/família/mês ou R$ 120,00/pessoa/mês. Considerando que quase todos têm problemas graves de saúde, inclusive dois casos confirmados de câncer, moram em casas alugadas, pequenas e cheias de umidade. Há pelo menos um caso de uma família de seis pessoas, marido esposa e quatro crianças de 1 a 10 anos, desesperada, sofrendo pressão diariamente para sair da casa por não conseguir pagar o aluguel.

Diante dessa realidade, apelo para que nos ajudem, a ajudar essas famílias. As autoridades públicas que muito poderaim fazer por eles, os abandona, mas nós, militantes da causa palestina não podemos abandoná-los também. A ninguém é possível viver com dignidade com um rendimento mensal tão reduzido, ainda mais em se tratando de pessoas que já passaram por tantos traumas que os levaram a tornarem-se refugiados de uma guerra covarde e desigual que os expropriou o pouco que tinham.

Entre em contato conosco e se possível venha visitar para conhecer de perto a situação e prestar algum tipo de apoio.

Um comentário:

V dos R disse...

Hola, querid@s amig@s!

Escribo este mensaje preocupada, pero con esperanza. Para los que no me conocen, trabajé como speechwriter en la presidencia colombiana entre 2001 y 2003, incluyendo la época en que Uribe apoyó la invasión de Irak. Hoy me encuentro en Brasil haciendo un doctorado sobre temas del mundo árabe.

El ex presidente Uribe, desinformado, incluye la defensa palestina del territorio ocupado dentro de la categoría de terrorismo, y por ello, su nombramiento como vicepresidente de la comisión de la ONU que investigará los acontecimientos de la Flotilla en Gaza, compromete la objetividad de la pesquisa.

L@s invito a informarse, compartir y expresar conmigo esta preocupación con tod@s sus amig@s.

Quedo a su disposición, esperanzada y a la espera de su respuesta. Con un gran abrazo,

Paola.


Dear friends:

I write this message concerned but hopeful. For those who do not know me, I’m a Colombian anthropologist, and worked as a speechwriter in the Colombian presidency between 2001 and 2003, including the time when former president Uribe supported the invasion of Iraq. Today I am in Brazil doing a doctorate on themes related to the Arab world.

Former President Uribe, uninformed, includes the defense of the Palestinian occupied territory within the category of terrorism, and therefore his appointment as vice chairman of the UN commission investigating the events in Gaza Flotilla compromises the objectivity of the investigation.

I invite you to learn, share and express this concern with me, with your friends.

Warm embraces,
Paola.